Comunicado Importante - 3 contos do blog serão publicados

É com muito orgulho que venho anunciar, que eu Debby Lennon e Sandra Franzoso iremos participar da antologia Jogos Criminais. A Antologia será lançada no dia 15/01/2011, Na Biblioteca Viriato Correa, situada a Rua Sena Madureira, 298 - Vila Mariana. Meus contos Anjo Perdido e Joana e Maria, já foram postados aqui no blog e agora está aperfeitoado e com mudanças no final,o mesmo acontece com o conto O Noivado da Sandra. Maiores informações em breve.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Pessoas estranhas.






Jean sempre foi um cara decente, boa índole, educação de berço, uma inteligência invejável. Jamais pensou que poderia acontecer a ele o “impossível” e que ele não pudesse contornar. O que faz um homem como ele, resolvido, adulto, bonitão e politicamente correto entrar numa dessas de “MALDIÇÃO”? Bem, vou contar e me digam o que vocês acham.



Foi numa noite de lua cheia quando ele era um jovem que saía para se divertir com um grupo de amigos de escola. Resolveram fazer uma festinha inocente com garotas, violão, uma fogueira e bebidas. Local: Sítio do pai de um dos amigos. Fizeram uma brincadeira e quem perdesse, teria que fazer algo que o grupo escolhesse. Sobrou pra Jean lógico, como sempre. Ele estava levemente alto devido àquelas bebidas todas, pois não estava acostumado a isso. Os amigos disseram para entrar no meio do mato e trazer uma pedra que se encontrava próxima ao riacho. E lá foi ele atrás. Estava muito escuro. Apenas escutava o barulho dos animais noturnos. Mas foi sem medo. Quando de repente, escutou um barulho vindo da mata. Parecia um animal bem afujentado. Quando ele menos esperava, surgiu diante dele um lobo enorme. E pelo olhar maligno, o seu propósito era jantar Jean. Acho que o animal deve tê-lo farejado como os moleques fazem quando sentem o cheiro inconfundível de um delicioso lanche quando se está com fome. Jean esfregou os olhos e olhou novamente pra se certificar de que não estava sonhando, viu um cachorrinho inocente no lugar do lobo. Bem, ele não sabia se corria, gritava ou simplesmente se fingia de morto (saibam que essa técnica só funciona com ursos) ou acreditava na segunda visão, a do cachorrinho meigo e inocente? Sorriu, pensou estar ficando louco, virou as costas e seguiu quando escutou um uivo arrepiante. Afinal, o que estava acontecendo a Jean? Estaria imaginando coisas? Ele olhou para trás e viu quando a fera demoníaca iria fazê-lo virar jantar. Escuta-se um tiro de rifle. Nesse exato momento, a fera já tinha se preparado para atacá-lo mas foi o alvo do tiro. Porém, ele viu que a fera o tinha arranhado. Seu braço estava com a marca das garras do estranho lobo. O homem que atirou apareceu do nada e saiu arrastando o bicho até onde seus olhos puderam alcançar, notou que a fera ia mudando de aspecto. Estranhamente sumiram na escuridão. Jean ficou atordoado pensando se o que acabava de ver teria sido real. Teve a sensação de já ter vivido aquilo.

Bem próximo já se encontrava o riacho em que ele catou a pedra e voltou correndo para casa onde estavam os amigos. Quando contou o caso, deram risadas e disseram que sua imaginação estava pregando peças. E quando foi mostrar as marcas que a fera tinha deixado no seu braço, cadê? SUMIRAM! Eles rindo e ele assustado e muito impressionado com o sumiço das marcas. Todos foram dormir, menos Jean, ele se deitou mas o sono não vinha. O fato é que enquanto todos dormiam, Jean atacou um a um, mordendo e arrancando pedaços com os dentes, ele estava totalmente transtornado. Em uma de suas mãos havia uma faca que ele pegou na cozinha. Cada vez que mordia um amigo, o esfaqueava em seguida até a morte. Do mesmo modo mordeu e esfaqueou a todos, depois voltou pra cama e adormeceu. Acordou no dia seguinte com a roupa toda ensaguentada, assustado, sem saber o que tinha acontecido. Não se lembrava da noite anterior.

Sons de sirene de carros de polícia se aproximaram, Jean ficou imóvel sentado em sua cama. Os policiais entraram na casa e encontram todos os amigos mortos, menos ele que estava em estado de choque.

Jean havia fugido do manicômio, ele era um jovem com sérios problemas psiquiátricos, não podia beber que sempre atacava quem estivesse por perto do mesmo modo. Tendo sempre as mesmas visões, ora via um lobo, ora via um cachorrinho. Perdia a noção. Isso só acontecia quando ele ingeria álcool, mas quando estava sóbrio não sabia que não podia beber. A família o havia internado alguns meses atrás. Na fuga, ele foi pra casa de um colega de escola e com ele programou essa festinha onde tudo aconteceu. O lado negro da mente de Jean só se manifestava quando ele estava sob o efeito de bebida, aí, ele se tornava um monstro. Quando seu organismo estava limpo, Jean não passava de um jovem meigo. A mistura do cãozinho e do lobo representavam na verdade, os dois lados da personalidade de Jean. Mas agora, ele estava novamente de volta ao manicômio, não representava perigo... pelo menos... não até a próxima fuga!


Mr. Jones

3 comentários:

Debby Lenon disse...

Adorei o texto maninho.

Sandra Franzoso disse...

Esse jovem é insano... quando não bebe, é uma pessoa normal, quando bebe, é um assassino frio. E nem sabe que não pode beber, nem sabe que é um perigo pra sociedade.
BJS!

Rafhaelbass disse...

Bom o texto, seria uma história ou uma estória??

Abraços!!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin